Quantas meias estão aqui?

3 de março de 2013

Coliseu dos Recreios, 2013

Foi de loucos. superou todas as expetativas. 10 anos. Quem diria que fosses tão longe? Ninguém esperava isto, muito menos tu. No concerto, fizeste algo lindo, algo que nunca tinhas feito desta forma desde que me lembro: agradeceste-nos por toda a tua carreira, por teres chegado tão longe, disseste que sem nós era impossível. Acho que de tanto esforço que tu tens para connosco, nós nunca te conseguimos agradecer tudo o que a tua música vale para nós e como tem de certa forma um lugar na nossa vida. Nós nunca te chegámos a agradecer a alegria de um concerto. E para além do mais, nós nunca te chegámos a agradecer ao facto de seres a pessoa que és. A seres tão bom cantor, tão ligado a nós, tão normal mas tão fora do comum. Como tu próprio dizes, não seria possível sem os teus músicos  a eles, um grande obrigada! Obrigada ao Nuno pela presença dele em palco. Obrigada ao Ricardo por alegrar o palco e se meter sempre contigo para fazer traquinices. Obrigada ao Sérgio por fazer tão bom trabalho. Obrigada ao Paulo por te acompanhar para todo o lado com a música. Obrigada a todos eles por te suportarem imenso, por estarem contigo não só com a musica a ligar-vos.

“Quero dizer que venham ter connosco, que se aliem a nós nesta festa, vai ser uma noite absurda de uma energia que eu espero que contagie todas as pessoas que estão no Coliseu, e que se divirtam acima de tudo connosco e que possam ter uma noite em que se esqueçam um bocadinho de tudo, para durante aquelas horas poderem estar a viver outro tipo de experiência.”
Contagiou, foi lindo, só não tenhas dúvidas disso.
Por muitos textos que te escreva, nunca te vou conseguir agradecer tudo o que já fizeste. Obrigada, David.


Sem comentários: